Eco Design - Desfile UEG

Loading...

sexta-feira, 12 de outubro de 2007

Merchandising para todos os gostos

A forte concorrência entre as marcas leva as tendências do merchandising até aos extremos. Mas as tendências de merchandising devem ser instrumentos ao serviço de uma marca e nunca o contrário
De forma a potencializar as marcas que as lojas colocam à disposição do consumidor, os merchandisers apresentam novas tendências.
A natureza bucólica dos campos, o preto e o branco, as influências barrocas e o brilho excessivo são os temas identificados pelas empresas de merchandising Faire Play e Merchanfeeling. Em Paris, o estabelecimento de moda étnica Numanu, afigurado pela Merchanfeeling, exibe o tema da natureza. «Trabalhamos ao todo os cinco sentidos», explica a merchandiser Beatrice Querette.
A loja possui uma parede em tons de framboesa e dissemina um odor de laranja doce à base de óleos essenciais. A rede de lojas londrina Topshop colocou sobre os muros das suas lojas silhuetas de insetos que, conjuntamente com uma bicicleta velha exposta na loja, recriam um ambiente vintage.
A tendência vintage surge nos espaços através de móveis e objetos antigos recuperados e papel de parede.
A ausência de luz é outra tendência. Os espaços escuros, sem janelas e em tons de preto são preenchidos com músicas estonteantes que fazem recordar as casas noturnas.
O luxo caracterizado pelo brilho excessivo é mais uma tendência do merchandising. «Os códigos do luxo se libertam e quebram todos os tabus! A cor rosa conotada como Barbie, o "glossy" e o "bling-bling" eram considerados como vulgares e kitsh. Hoje são o cúmulo do chique e as grandes empresas têm usado e abusado», constata Cristophe Berthélémy da Faire Play.
Em contraste com o preto, também o branco não escapa às tendências. As inspirações vindas dos glaciais, as transparências, o branco puro e imaculado revestem muitos dos pontos de venda.
O design se democratizou, quem afirma é Cristophe Berthélémy: «...os pontos de venda tornaram-se catedrais, construções ultra estruturadas... Um local de Happening arty».
O merchandising tem como objetivo maximizar as vendas e maximizar a rentabilidade dos investimentos efetuados no ponto de venda.
Tem ainda como grande preocupação a satisfação do cliente e é utilizado de modo a facilitar a escolha dos consumidores, tornando o mais agradável possível a sua visita à loja.
«As tendências de merchandising servem de instrumentos ao serviço de uma marca e nunca o contrário», salienta Cristophe Berthélémy, «...não se deve copiar uma tendência tal e qual, mas sim adaptá-la e personalizá-la de acordo com o ponto de venda».
O merchandiser da Faire Play deixa um conselho a todas as marcas: «Ousem cruzar os códigos, ousem ser arrojados».